Variáveis determinantes da qualidade das práticas de governança corporativa das empresas de capital aberto não listadas em bolsa

Moisés Araújo Almeida, Joséte Florêncio dos Santos, Lúcio Flávio Vieira de Medeiros Ferreira, Fernando José Vieira Torres, Edilson dos Santos Silva

Resumo


As discussões sobre governança ganharam maior destaque desde os escândalos financeiros que envolveram várias corporações nos EUA, causando prejuízos imensuráveis ao mercado. A adoção das boas práticas de governança corporativa abre espaço para uma gestão mais transparente, diminuindo a assimetria de informações e o conflito de agência, possibilitando a maximização de valor na empresa. O objetivo do artigo é investigar os determinantes da qualidade das práticas de governança corporativa das empresas brasileiras de capital aberto não listadas em bolsa de valores. A amostra da pesquisa foi constituída por 100 empresas para o ano de 2005 e por 79 empresas para o ano de 2006, com informações públicas disponibilizadas pela CVM. Para análise dos dados, utilizou-se técnicas econométricas de regressão linear múltipla, com aplicação do método dos mínimos quadrados ordinários. Os resultados mostraram que a estrutura de propriedade, o tamanho, o crescimento e a quantidade de ativos tangíveis das empresas são fatores que determinam a qualidade das práticas de governança corporativa. Adicionalmente, a maior parte das empresas não listadas apresentaram um bom nível de governança corporativa e apresentam estrutura de controle e propriedade bastante concentradas.

Palavras-chave


Empresas Não Listadas

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-856X

Associação Brasileira de Custos
Av. Unisinos, 950 - Caixa Postal 275 - CEP: 93022-000 - São Leopoldo - RS - Brasil
Diretoria de Administração de Infraestrutura e Serviços - Telefone: 51 3591 1122 Ramal: 5235