A ACEITAÇÃO DO BALANCED SCORECARD COMO FERRAMENTA DE APOIO À DECISÃO POR EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO E FECHADO

DANIEL AUGUSTO DIETSCHI, Auster Moreira Nascimento

Resumo


Diversos estudos têm apontado que a busca das empresas de capital aberto em atender às expectativas dos acionistas pode muitas vezes ter como conseqüência a tomada de decisões com foco no lucro imediato. Isso teria como conseqüência a perda de oportunidades de investimento em projetos mais lucrativos, com retorno a médio e longo-prazo. Alguns pesquisadores entendem que esse fato pode ser sanado com o uso de ferramentas de gestão que proporcionem o equilíbrio entre aspectos financeiros e não-finaneiros na empresa. Dentre esses pesquisadores, Kaplan e Norton afirmam ser esta a principal virtude do Balanced Scorecard (BSC). Este estudo buscou identificar se as características dessa ferramenta são mais aderentes às empresas de capital aberto do que às de capital fechado, permanecendo predominantes os aspectos financeiros e o foco no acionista. A questão foi investigada através de uma survey envolvendo a participação de executivos de 77 empresas com faturamento acima de R$10 milhões. Análises de distribuições de freqüência, testes qui-quadrado, e testes Phi e Cramér?s V foram realizados com o apoio da ferramenta SPSS. Os resultados indicam que as características do BSC são mais aderentes às empresas de capital aberto do que às de capital fechado, sendo os aspectos financeiros predominantes.

Palavras-chave


Gestão do Desempenho

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-856X

Associação Brasileira de Custos
Av. Unisinos, 950 - Caixa Postal 275 - CEP: 93022-000 - São Leopoldo - RS - Brasil
Diretoria de Administração de Infraestrutura e Serviços - Telefone: 51 3591 1122 Ramal: 5235