A Difícil Mensuração do Capital Intelectual

Maria da Graça Pitiá Barreto, George Guerra Leone, Eduardo Fausto Barreto, Anselmo Montes Teixeira

Resumo


Este artigo busca evidenciar a dificuldade e a complexidade na mensuração do Capital Intelectual das organizações. Faz-se uma reflexão sobre a composição do Capital Intelectual da entidade, mostrando sua importância e a interdependência entre o Capital Estrutural e o Capital Humano na auferição de resultados organizacionais. Discutem-se as implicações conceituais do registro contábil do Capital Intelectual como Ativo. Comentam-se critérios de mensuração do Capital Intelectual. Por fim, analisam-se alguns aspectos da gestão social do capital intelectual. Conclui-se, recomendando a continuidade de estudos e de pesquisas sobre os critérios de mensuração do Capital Intelectual, para que sejam, a cada dia, aperfeiçoados e possam vir a compor relatórios gerenciais que representem instrumentos eficazes na verdadeira gestão de pessoas. Em se tratando da gestão social do capital intelectual, pode-se concluir que as organizações precisam ocupar-se com 02 enfoques:1. A utilização adequada dos recursos naturais na produção; 2. A capacitação do capital humano da empresa para melhor emprego dos recursos ambientais e ampliação da sua capacidade intelectual.

Palavras-chave


GESTÃO SOCIAL

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-856X

Associação Brasileira de Custos
Av. Unisinos, 950 - Caixa Postal 275 - CEP: 93022-000 - São Leopoldo - RS - Brasil
Diretoria de Administração de Infraestrutura e Serviços - Telefone: 51 3591 1122 Ramal: 5235