CUSTEIO BASEADO-EM-ATIVIDADES (ABC) COM TEORIA DAS RESTRIÇÕES (TOC): USANDO INFORMAÇÃO DO ABC COM A NOÇÃO DE RESTRIÇÃO DA TOC

Samuel Cogan

Resumo


Nos anos recentes várias são os trabalhos que tratam da polêmica entre o Custeio por Absorção representado pela sua forma mais avançada (Custeio ABC) e a Contabilidade de Ganhos da Teoria das Restrições (TOC), igualmente uma filosofia que se utiliza dos conceitos do custeio variável. Embora sejam técnicas contraditórias em seus fundamentos, várias são as pesquisas desenvolvidas com a finalidade de se buscar a integração dessas duas metodologias e alcançar resultados superiores aos obtidos individualmente por cada uma de per si. O presente trabalho não se prende à conhecida consideração de que a polêmica se resume tão somente a uma questão de horizonte de tempo: ABC para o longo prazo e TOC para o curto prazo. Esse artigo aborda a integração do Custeio Baseado-Em-Atividades e a Teoria das Restrições usando informação do ABC com a noção de restrição da TOC. Para tanto, será analisado o trabalho de Spoede, Henke, e Umble (Using Activity Analysis to Locate Profitability Drivers: ABC Can Support a Theory of Constrains Management Process, Management Accounting, 1994), que mostra como análises das atividades podem ser usadas para identificar o recurso restrito chave.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-856X

Associação Brasileira de Custos
Av. Unisinos, 950 - Caixa Postal 275 - CEP: 93022-000 - São Leopoldo - RS - Brasil
Diretoria de Administração de Infraestrutura e Serviços - Telefone: 51 3591 1122 Ramal: 5235