A Certificação do Bem Estar Animal: um levantamento dos gastos

BRUNA IGNACIO PEREIRA, Samantha BORGHETTI, Viviane da Costa Freitag

Resumo


A bovinocultura de corte é um dos principais destaques do agronegócio brasileiro no cenário mundial. Com as ocorrências de crises sanitárias, tais como a da Febre Aftosa, surge a necessidade de conhecer a origem e os procedimentos de produção de alimentos, para tanto, se faz uso de controles de rastreabilidade baseados nas propostas de proteção de saúde animal e pública, padronizando processos de qualidade acompanhados de programas de certificação. Dentre as modalidades de produção: convencional; orgânica; natural. O estado do Bem Estar Animal é definido pela condição de harmonia do animal em relação ao ambiente em que vive, com boa nutrição, saúde, manejo e instalações adequadas. O estudo utilizou estratégias bibliográficas, documental e campo realizadas numa fazenda situada na região do planalto norte catarinense levantando os gastos do processo de certificação do Bem Estar Animal nos padrões do HFAC para a produção de bovino de corte. Os dados foram categorizados considerando o método de custeio por absorção. A análise dos gastos possibilitou apurar que a maior carga de investimento ocorre na mão de obra para o manejo, que garante a harmonia desses bovinos para com o meio ambiente, ressalta-se que independente da certificação, os produtores ainda necessitariam fazer uso dessa mão de obra, a diferença se dá pelo nível de treinamento desses funcionários, e pelos investimentos em adequações.

Palavras-chave


Certificação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-856X

Associação Brasileira de Custos
Av. Unisinos, 950 - Caixa Postal 275 - CEP: 93022-000 - São Leopoldo - RS - Brasil
Diretoria de Administração de Infraestrutura e Serviços - Telefone: 51 3591 1122 Ramal: 5235