MENSURAÇÃO DOS CUSTOS SOCIOECONÔMICOS DECORRENTES DE ITAIPU: CUSTO SOCIAL E ECONÔMICO COM A REGIÃO ALAGADA

Marcos ANDRADE, Tércio Vieira de Araújo, José Antonio Cescon

Resumo


O presente estudo objetiva mensurar os custos socioeconômicos decorrentes da implantação da hidrelétrica de Itaipu na região oeste Paranaense. Ao alagar um décimo da região oeste paranaense, Itaipu precisou desapropriar 40 mil pessoas, mas a forma como a história se desenvolveu, fez nascer uma dívida socioeconômica com as pessoas envolvidas no processo de indenização, desapropriação e alagamento de terras produtivas. A inundação de 111 mil hectares de terra causou um dano econômico ao Produto Interno Bruto da região oeste Paranaense, bem como uma perda populacional em razão da limitação do território. Para compensar este impacto, Itaipu paga royalties mensalmente aos Municípios afetados, ao Estado do Paraná e à União. A partir dos custos socioambientais e da sustentabilidade, a pergunta de pesquisa que se impõe é: sob o aspecto socioeconômico, Itaipu gera energia limpa e compensa financeiramente a região alagada? A resposta será construída metodologicamente, com utilização da pesquisa literária de estudos realizados na região, com análises e simulações para mensurar o impacto econômico que a região alagada sofreu com a instalação de Itaipu e comparar com os valores pagos a título de royalties para identificar se há efetiva compensação financeira. O resultado alcançado demonstra que a perda populacional e redução do produto interno bruto da região que foi alagada, são maiores que a compensação financeira advinda atualmente dos royalties.

Palavras-chave


Custos socioeconômicos, Itaipu, legado, responsabilidade socioambiental.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-856X

Associação Brasileira de Custos
Av. Unisinos, 950 - Caixa Postal 275 - CEP: 93022-000 - São Leopoldo - RS - Brasil
Diretoria de Administração de Infraestrutura e Serviços - Telefone: 51 3591 1122 Ramal: 5235