INFLUÊNCIA DA IMOBILIZAÇÃO NO COMPORTAMENTO ASSIMÉTRICO DOS CUSTOS

THAYSE MORAES ELIAS, ALTAIR BORGERT

Resumo


O objetivo da presente pesquisa consiste em analisar a influência do ativo imobilizado na assimetria dos custos das empresas brasileiras listadas na BM&FBOVESPA. Sendo assim, verifica-se a influência da intensidade de ativo imobilizado, por meio da razão do Ativo Imobilizado pelo Ativo Total, no comportamento do Custo dos Produtos Vendidos - CPV, Despesas Administrativas e com Vendas - DAV, Custo Total – TC e Despesa com Depreciação – DD do conjunto de empresas e, também, com base em clusters, categorias e setores no período 1995 a 2016. Os agrupamentos em clusters consistem na divisão das empresas com base na representatividade de ativo imobilizado, no qual as empresas são segregadas em três grupos, a fim de verificar a influência desses no comportamento dos gastos. As categorias referem-se à classificação das empresas em comércio, serviço e indústria. Por fim, os setores compreendem 22, cuja classificação é a proveniente da base de dados utilizada para coleta de dados. Para os grupos, mensura-se a intensidade de ativo imobilizado, realiza-se o Teste Kruskal Wallis para agrupamentos e, por fim, a análise de regressão para dados em painel. Os resultados indicam que a intensidade de ativo imobilizado não se mostra significativa quanto à influência na assimetria dos custos no sentido sticky costs para as empresas analisadas em conjunto ou por meio da separação de clusters, categorias ou setores.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-856X

Associação Brasileira de Custos
Av. Unisinos, 950 - Caixa Postal 275 - CEP: 93022-000 - São Leopoldo - RS - Brasil
Diretoria de Administração de Infraestrutura e Serviços - Telefone: 51 3591 1122 Ramal: 5235