Análise do comportamento assimétrico dos custos na empresa Portobello S.A.

Felipe Carlos Vargas, Aline Willemann Kremer, Bruna Teixeira

Resumo


A evolução das pesquisas na área de comportamento assimétrico de custos se dão na compreensão de seus fatores explicativos de forma mais específica para cada setor e empresa. Assim, a presente pesquisa tem como questão norteadora: Qual a interferência do grau de imobilização na assimetria dos custos da empresa Portobello S.A. ao longo de 1999 a 2018?. Para todos os itens de gastos, os resultados encontrados também corroboram o estudo de Kremer, Pinheiro e Ferrari (2014), que analisaram o impacto do grau de imobilização no comportamento assimétrico das empresas do setor de telecomunicações brasileiro. Em contrapartida, refutam os resultados mencionados na literatura internacional e nacional, como o de Grejo et al (2019), onde apontam que em empresas com maior grau de imobilização a assimetria é maior. Por fim, sugere-se para futuras pesquisas a análise de forma individual de cada uma das empresas do setor de indústria cerâmica e, ainda, obter complemento aos resultados obtidos por meio de entrevistas com profissionais internos à organização, a fim de que comentem os resultados encontrados. Da mesma forma, propõe-se estudos individuais em outras empresas de diferentes setores.

Palavras-chave


Comportamento dos custos; Sticky costs, Indústria Cerâmica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-856X

Associação Brasileira de Custos
Av. Unisinos, 950 - Caixa Postal 275 - CEP: 93022-000 - São Leopoldo - RS - Brasil
Diretoria de Administração de Infraestrutura e Serviços - Telefone: 51 3591 1122 Ramal: 5235