Evidências empíricas da superioridade de uma cadeia de valor terceirizada: análise do processo de importação do Projeto Energia+

Rudolph Fabiano Alves Pedroza Teixeira, Jaime Wagner Rodrigues Barbosa, Yara Consuelo Cintra

Resumo


O objetivo do presente artigo foi verificar se existiram diferenças significantes entre o custo médio das cargas de religadores importados, que tiveram seu desembaraço aduaneiro realizado por um despachante terceirizado contratado pela Unidade Gestora do Projeto (UGP) central e, os religadores que foram gerenciadas por uma equipe interna das empresas de distribuição da Eletrobras (EDE), no âmbito do Projeto Energia+. Tal estudo baseou-se em trabalhos como os de Prahalad e Hamel (1990), Quinn (1999) e Gottfredson, Puryear e Phillips (2005), que consideram a capacidade da cadeia de valor terceirizada em reduzir custos e gerar vantagens competitivas para a empresa ou unidade central. Para tanto, utilizou-se o teste paramétrico t de Student, que compara duas amostras independentes, bem como, o teste não paramétrico de Mann-Whitney. Como resultado, foi possível constatar que as cargas de religadores gerenciadas com base na cadeia de valor terceirizada da UGP apresentaram custos inferiores se comparadas às cargas que não foram gerenciadas por tal estrutura. Esse achado contribui com a literatura empírica sobre o tema, confirmando ganhos da terceirização para a empresa ou unidade central.

Palavras-chave


Cadeia de valor de terceirizada. Custos de importação. Religadores de tensão. Unidade gestora do projeto. Eletrobras.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-856X

Associação Brasileira de Custos
Av. Unisinos, 950 - Caixa Postal 275 - CEP: 93022-000 - São Leopoldo - RS - Brasil
Diretoria de Administração de Infraestrutura e Serviços - Telefone: 51 3591 1122 Ramal: 5235