Pontos e Contrapontos das Aulas de Orçamento Corporativo no Ensino Remoto Emergencial: Um Olhar Reflexivo

Francisco Isidro Pereira

Resumo


No cenário de educação distanciada que desenrolou com a pandemia da Covid-19 e que de forma abrupta os professores tiveram que se adaptar as emergências escolares, uma pergunta inevitavelmente se impôs: Quais as variáveis intervenientes nos efeitos positivos e negativos no formato do modelo remoto emergencial de Orçamento Corporativo? Dada especificidade e singularidade do objeto de pesquisa trata-se de um estudo de caso único com forte natureza qualitativa. Do ponto de vista metodológico se adotou a observação participante em que o próprio pesquisador é parte do contexto e análise de conteúdo decorrente dos artefatos documentais gerados: o blog de campo e as vídeoaulas gravadas. Os procedimentos analíticos foram baseados nos contrastes teóricos e esquemas. Para validar recorreu-se aos pesquisadores de Educação. A janela temporal contemplou 11 semanas entre junho e agosto de 2020. Pode-se evidenciar as seguintes variáveis indutoras de efeitos positivos: a) ações reflexivas, b) curiosidade instantânea, c) autoavaliação, e d) interação com os pares. Já as negativas salientaram: a) a distância; b) autonomia e c) ressignificação

Palavras-chave


Aula remota. Orçamento corporativo. Atividades síncronas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-856X

Associação Brasileira de Custos
Av. Unisinos, 950 - Caixa Postal 275 - CEP: 93022-000 - São Leopoldo - RS - Brasil
Diretoria de Administração de Infraestrutura e Serviços - Telefone: 51 3591 1122 Ramal: 5235